Blog

3 Dicas simples para vender mais

Posted by on julho 24, 2017 in Análise de Concorrência, Dicas PHD, Empreendedorismo, Net Promoter Score - NPS, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Satisfação de Clientes, Pesquisas de Mercado | 0 comments

3 Dicas simples para vender mais

 

Com a concorrência cada vez mais acirrada, temos que encontrar alternativas para conquistar o cliente. Quantas vezes entramos em uma loja e fomos mal atendidos, desistindo da compra e procurando outra loja com produto similar?

É por isso que trouxemos 3 passos importantíssimos para conquistar seu cliente e vender mais. Vamos lá?


vendedor

Vendedor: atitudes simples como simpatia, paciência e atenção são as ferramentas fundamentais para iniciar uma venda. O cliente que entra loja pretende ser bem recebido, com sorriso e simpatia, e não apenas atendido com um “posso ajuda-lo?”.

 

estoque

Estoque: a loja deve sempre ter produtos em estoque e muitas opções. Se um cliente chega à loja atrás de um determinado produto que está em falta, gera uma imagem negativa e, provavelmente, o cliente nunca mais voltará na loja para não ter maiores frustrações.

 

vitrine

Vitrine bem exposta: quando o cliente entra em um ambiente agradável, com luzes bem posicionadas e produtos bem expostos de maneira fácil para o cliente tocar, escolher e experimentar, trabalha-se com a autossuficiência do consumidor. Isso gera a compra por impulso, ou seja, o cliente está disposto a fazer apenas uma compra e sai da loja com vários outros produtos.

 

Pensando nestas dicas, selecionamos um vídeo sobre este assunto.

 

 

Por que estou perdendo clientes?

Posted by on maio 2, 2017 in Análise de Concorrência, Dicas PHD, Empreendedorismo, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Satisfação de Clientes | 0 comments

Por que estou perdendo clientes

Independentemente do tamanho do seu negócio, perder clientes nunca é o objetivo de uma empresa. Quando falamos de micro e pequenas empresas especificamente, perder clientes torna-se um risco em potencial.

Tratando-se de empresas físicas, os principais fatores que levam o cliente a manter sua fidelidade muitas vezes, ao contrário do que podemos imaginar, podem estar ligados à sua comodidade: hábito, conveniência ou localização. Desta forma, não é tanto a qualidade dos produtos/serviços ou do atendimento em si que está em jogo, mas a facilidade de acesso a uma necessidade. Neste caso, a instalação de uma rede de maior porte nos arredores ou mesmo um novo estabelecimento pequeno que oferte o mesmo produto/serviço pode representar grande ameaça para o seu negócio.

Torna-se essencial, portanto, focar as estratégias como, por exemplo, na criação de um programa de fidelidade no qual o cliente se sinta estimulado a manter o consumo do seu produto ou serviço. Tal estratégia pode, inclusive, gerar um aumento na frequência e/ou gastos, desde que seja feito de maneira organizada.

 

Como saber se seus clientes estão migrando para a concorrência?

A primeira medida é entender quem são os seus clientes de acordo com o seu comportamento de consumo para perceber se a frequência ou gastos investidos estão diminuindo. Tal relação pode ser feita de maneira simples em planilhas manuais ou automatizadas que acompanham a variação de rendimentos.

Outra medida importante é mensurar se o atendimento está influenciando no faturamento e, para isso, é muito importante ouvir o cliente. A Pesquisa de Satisfação de Clientes pode ajudá-lo a entender os pontos fortes e fracos do seu atendimento, produto e/ou serviço e ainda comparar a satisfação com a concorrência, de acordo com os hábitos de consumo do seu consumidor. Ainda, deve-se verificar se os clientes rotineiros têm aparecido menos ao seu estabelecimento, gastado menos ou ainda se a concorrência está investindo em novidades enquanto você está “parado”.

É importante, também, sondar aqueles clientes que deixaram de consumir seus produtos e serviços, buscando entender os reais motivos pelos quais você não conseguiu retê-los. Muitas vezes o problema não está com você, pode ser que seu cliente simplesmente não precisa mais de consumir seus produtos/ serviços!

A Pesquisa de Satisfação de Clientes também pode ser usada para estratégias de marketing, utilizando-se das informações das reais experiências dos consumidores para alinhar as expectativas da empresa ao divulgar o seu negócio.

 

Saiba mas sobre Pesquisas de Satisfação

 

Conhecer o consumidor também ajuda a reter os clientes mais valiosos que devem receber um tratamento especial para que o mesmo não migre para a concorrência. E mais uma vez, através da Pesquisa de Satisfação, é possível focar no estímulo à repetição do comportamento em outros clientes, investindo na divulgação e efetivação das ações que estão funcionando e melhorias nos pontos fracos identificados.

O programa de fidelidade pode ser montado a partir dos dados coletados na pesquisa e de acordo com os tipos de clientes identificados. A elaboração dos benefícios de acordo com o tipo de cliente ajudará a aumentar o faturamento e diminuir a exposição à concorrência. Independente do programa de fidelidade, conhecer os clientes e ter fácil contato a eles, ajuda o negócio a divulgar ações promocionais ou outras questões relevantes ao consumidor.

É claro que ninguém quer ter a experiência de ver seu portfólio de clientes cada vez mais reduzido. A diferença entre o empreendedor/ empresa de sucesso e aquele que falha é que o primeiro sabe quando e como ouvir seus clientes, buscando uma adaptação contínua para oferecer produtos e serviços cada vez melhores.

Como driblar a sazonalidade das vendas e lucrar o ano todo [vídeo]

Posted by on abril 27, 2017 in Análise de Concorrência, Dicas PHD, Empreendedorismo, Pesquisas de Mercado | 0 comments

Como driblar a sazonalidade das vendas e lucrar o ano todo

Um bom empreendedor sempre cria um business plan antes de abrir seu negócio. Fazem planejamento de qual produto será vendido, como será o marketing, logotipo, embalagem, custos, previsão de faturamento, etc, mas o que muitos acabam esquecendo é que, dependendo do nicho de mercado, existe a tal sazonalidade.

 

O que é Sazonalidade de vendas?

 

Em poucas palavras, sazonalidade de vendas é quando um produto ou serviço está sujeito a oscilações de demanda do consumidor, muitas delas por fatores climáticos, datas comemorativas, eventos periódicos, entre outros.

 

Para se adaptar à tais variações de procura, é necessário muita criatividade e estratégia para manter os negócios aquecidos em qualquer estação do ano. Como diz o ditado, o empreendedor deve “dançar conforme a música” para conquistar cada dia mais novos clientes e surpreender os fidelizados.

 

No vídeo abaixo, você vai aprender os 3 mandamentos para manter o seu negócio aquecido

durante todo o ano:

 

https://youtu.be/_vHxt3xxtiM?t=18s

 

 

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios.

 

 

 

 

Melhore seu clima organizacional em 4 passos

Posted by on abril 11, 2017 in Clima Organizacional, Dicas PHD, Empreendedorismo, Net Promoter Score - NPS, Pesquisa de Satisfação, Pesquisas de Opinião | 0 comments

Melhore-seu-clima-organizacional-em-4-passos

 

A alta rotatividade de funcionários em uma organização, além de gerar altos custos, é um sinal de que pode haver algo errado dentro da própria empresa. Em tempos de crise econômica, demitir funcionários frustrados nem sempre é a melhor saída: deve-se levar em consideração que, fazendo isto, haverá atrasos no cumprimento de prazos, tempo para que o novo funcionário se adapte à empresa e eventual redução na qualidade do atendimento ao cliente, uma vez que os demais funcionários estarão sobrecarregados enquanto não houver uma nova contratação.

A Satisfação dos seus clientes começa pela satisfação dos seus funcionários.

É claro que você quer que sua empresa gere cada vez mais lucro e tenha mais clientes. Para isso, se você acompanha o Blog do Instituto PHD, já sabe que precisa gerenciar e manter um alto grau de satisfação dos clientes. Mas como esperar um atendimento de excelência de um funcionário insatisfeito?

É importante analisar cada setor da empresa e descobrir o que está levando seus funcionários à insatisfação. Dependendo do tipo de problema, é melhor e mais econômico investir em benefícios, políticas de remuneração ou criar um ambiente de trabalho mais agradável e justo do que demitir um funcionário que você sabe que tem alto desempenho, mas que está desmotivado. Funcionários satisfeitos e felizes no ambiente de trabalho proporcionarão um atendimento de excelência aos seus clientes, deixando-os mais satisfeitos e consolidando o modelo de negócio ideal.

Separamos algumas dicas para melhorar o clima organizacional de seu negócio:

1 – Considere oferecer mais incentivos:

Convênios médicos ou odontológicos são alternativas para que o funcionário tenha vontade de continuar na empresa, pois eles entendem o quanto é desagradável depender de hospital público.

Outra ideia seria horários flexíveis de trabalho para o colaborador. Muitos têm problemas a serem resolvidos em horário comercial, mas acabam deixando pendentes por não ter horário para solucioná-los.

Oferecer um dia da semana para Home Office, além de benéfico para a própria corporação que não terá custos com energia e água, por exemplo, será uma preferência do seu funcionário, uma vez que este economizará tempo em trânsito, custo com alimentação, transporte e aumentará o tempo com a família ou poderá investir num curso profissionalizante.

Proporcione também comissões àqueles que atingirem metas. Um valor a mais no final do mês é motivador e concebe ao funcionário maior dedicação no próximo mês.

Pesquise seu funcionário, e descubra quais incentivos são mais interessantes para seus colaboradores.

2 – Crie vínculo:

Um ponto importante que poucos gestores levam em consideração é o feedback. Mostrar que você está acompanhando e conduzindo os movimentos de um funcionário, faz com que ele se sinta importante e capacitado para aquele cargo.

Todos os colaboradores precisam se sentir seguros no ambiente de trabalho. Parabenizar ou bonificar aquele que atingiu as expectativas do mês é imprescindível para mantê-lo entusiasmado. Contudo, chamar atenção de quem teve um desempenho inferior ao esperado, também é interessante.

Fazer happy hours mensais ou confraternizações em final de ano também são maneiras de criar relação com os funcionários.

3 – Desperte criatividade:

Como diz o ditado, “duas cabeças pensam melhor do que uma”. A empresa deve estar sempre aberta a novas ideias para atrair mais clientes. Incluir um funcionário em projetos que não façam parte da rotina de trabalho dele, desperta o interesse, criatividade e desafio. Virão novas ideias e estratégias para atingir um objetivo em comum.

4 – Seja um líder:

Ninguém quer um chefe, aquele que manda, que é verbalmente agressivo, que cobra o tempo inteiro. Os colaboradores buscam alguém que os inspire, os motive, os entusiasme, os oriente para finalizar algum exercício dado. Seja autocrítico e perceba o que tem que ser melhorado para que o ambiente de trabalho se torne agradável.

Se com todas estas dicas seu funcionário ainda queira sair, pergunte a ele há de errado na organização e, com esta informação, crie métodos de melhorias para que outros funcionários não fiquem desapontados também.

Converse com nossos consultores e saiba como podemos te ajudar com pesquisas de satisfação de funcionários.

Fonte: Exame

 

Como realizar Pesquisas de Clima Organizacional?

Posted by on março 27, 2017 in Pesquisa de Satisfação de Clientes | 0 comments

Como realizar Pesquisas de Clima Organizacional

Os indicadores que compõem uma Pesquisa de Satisfação de Funcionários ou Colaboradores também conhecida como Pesquisa de Clima Organizacional devem ser norteadas a partir da definição clara da cultura e propósitos da organização – trabalho realizado pela comunicação interna ou endomarketing – para entender se os esforços dos gestores estão equiparados aos objetivos.

Mas afinal, o que é clima organizacional? O vídeo abaixo esclarece o conceito de forma simples e clara:

 

http://https://www.youtube.com/watch?v=ckHyNgE8DRU

 

Cuidados e Objetivos da Pesquisa de Satisfação de Funcionários/ Colaboradores

O maior cuidado que deve ser levado em consideração quando falamos em Pesquisa de Satisfação de Funcionários é na escolha da forma de coleta de dados.

Geralmente, levantamentos realizados internamente pela própria empresa tendem a não representar opiniões sinceras, dado que os colaboradores muitas vezes não se sentem a vontade para responder todos os questionamentos referentes ao clima organizacional e, no pior cenário, camuflam suas reais opiniões por medo de serem identificados. Por isso, assegurar a confidencialidade e não obrigar sua participação garante uma coleta de dados mais sincera e próxima a realidade vivida pelos funcionários.

A contratação de uma empresa de pesquisa de satisfação terceira deixa os funcionários mais a vontade para participar e contribuir com melhorias para manutenção do clima organizacional.

Quando possível, divulgar os resultados da pesquisa é importante para que haja maior interação entre os funcionários, assim como facilita a criação de metas e objetivos a partir das reais expectativas dos mesmos com seus superiores.

A Pesquisa de Clima Organizacional é uma grande aliada para identificar ações e estratégias para melhoria de performance da equipe, retendo talentos e estimulando funcionários a trabalhar com dedicação ao negócio, assim como ajuda a manter um ambiente de trabalho agradável.

Também pode ser utilizada para decisões estratégicas de reorganização de equipes quando uma empresa está passando, por exemplo, por uma fusão, na qual instala-se, imediatamente, um clima de incertezas. Neste caso, manter uma comunicação clara e transparente sobre as mudanças na estrutura garante um bom desempenho dos times.

E aí, seus funcionários “vestem a camisa” da sua empresa?

O que são Eleições Suplementares?

Posted by on março 23, 2017 in Eleições, Eleições Suplementares, Pesquisas Eleitorais, Pesquisas para Prefeito | 0 comments

Eleicoes Suplementares

 

Em 2016, elegemos Prefeitos e Vereadores para administrar os próximos 4 anos em todas as cidades do Brasil. Sabemos que devemos pesquisar antes de votar e, após, fiscalizar. Mas você sabia que ainda há várias cidades sem Prefeito?

 

Isso ocorre quando o candidato eleito é impedido de tomar posse. Os motivos são variados, mas alguns exemplos são: condenação eleitoral ou criminal, abuso de poder político, compra de votos, cassação de mandato, etc. Quando o candidato tem algum destes processos ainda não julgados até o dia da diplomação, ele fica impossibilitado de comandar o cargo.

 

O que são Eleições Suplementares?

Nestes casos excepcionais, o Vice não pode substituí-lo, pois chapa toda é vetada. O Vice só assume em caso de renúncia de cargo, atestado médico ou viagem a trabalho do Prefeito elegido. Por isso, quem se responsabiliza pelo mandato é o Presidente da Câmara, até que a Justiça Eleitoral agende uma nova eleição na cidade, chamada de Eleição Suplementar.

 

http://https://www.youtube.com/watch?v=N2jY6XEHzXo

 

Veja as cidades que realizaram ou realizarão eleições suplementares, de acordo com o TSE:

 

12 de março

 Alvorada de Minas (MG)

Conquista D’Oeste (MT)

Ervália (MG)

São Bento Abade (MG)

Calçoene (AP)

Arvorezinha (RS)

Butiá (RS)

Gravataí (RS)

Salto do Jacuí (RS)

São Vendelino (RS)

São Vicente do Sul (RS)

 

 

2 de abril

 Cafelândia (SP)

São José da Bela Vista (SP)

Mococa (SP)

Foz do Iguaçu (PR)

Piraí do Sul (PR)

Nova Laranjeiras (PR)

Quatiguá (PR)

Guajará-Mirim (RO)

Carmópolis (SE)

Ipojuca (PE)

Sangão (SC)

Como medir a Satisfação do Cliente?

Posted by on março 17, 2017 in Empreendedorismo, Pesquisa de Pós-Vendas, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Satisfação de Clientes, Pesquisas de Opinião | 0 comments

Como medir a Satisfação do Cliente

Para medir a satisfação do cliente, primeiramente devemos entender o conceito de satisfação. O termo “satisfação” é muito abstrato, pois o que é satisfação para a empresa pode não ser necessariamente a mesma coisa para o cliente e, no caso de clientes satisfeitos, pode-se dizer que, devido à mudanças de expectativas, necessidades e processos de utilização de um produto ou serviço, os clientes esperam sempre mais.

Um erro comum das empresas é acreditar que a satisfação do usuário final é medida somente no processo de compra. É preciso considerar que o cliente acredita que a sua empresa é especialista no que faz, e por isso, gerar um comprometimento em ajudar que eles sejam bem sucedidos através da interação com a sua empresa é fundamental.

Como medir a satisfação do cliente?

Então, como saber se a percepção da empresa em relação à satisfação condiz com a experiência do cliente?

Há algumas considerações que a empresa deve fazer para mensurar a experiência do cliente para que a coleta de dados tenha utilidade na prática.

  1. Identificar os segmentos de clientes que a empresa atende, pois para cada segmento, a interação com o cliente muda, principalmente nos segmentos de maior potencial de crescimento e influência sobre os demais.
  2. Identificar quais experiências serão medidas para facilitar a identificação dos pontos fracos e fortes pelo cliente em cada nível abordado: relacionamento geral, experiência do cliente para adquirir o produto e/ou serviço e as interações com a sua utilização.
  3. Escolher as métricas de satisfação e definir técnicas de amostragem, visando comparar as respostas entre os clientes e ainda aplicar tal mensuração como um processo contínuo de melhorias.
  4. Há várias formas de realizar a coleta de dados, por isso, definir a estratégia de coleta de dados é a próxima etapa. A Pesquisa de Satisfação é uma metodologia que engloba a mensuração dos pensamentos, sentimentos e ações do cliente, podendo ser aplicada tanto de forma qualitativa como quantitativa.

A Pesquisa de Satisfação é uma oportunidade para aproximar a sua empresa dos clientes, como um canal de escuta, alinhando a qualidade do que está sendo oferecido com as expectativas e experiência dos usuários. Desta forma, têm-se em mãos verdadeiros indicadores sobre o cumprimento daquilo que foi prometido, levando em consideração desde a primeira tentativa de contato, até o atendimento pós-venda.

É preciso estar pronto para ouvir a verdade

A Pesquisa de Satisfação evidencia pontos fortes e fracos dos clientes em relação à experiência de contato e compra do produto ou serviço e a Pesquisa de Pós-Vendas traz informações sobre a percepção final do cliente em relação à qualidade do produto. Ambas mensuram a real sensação e trazem diretrizes para aplicação de ações a fim de obter melhorias em todos os processos da empresa.

4 Tipos de perguntas que não podem faltar na sua pesquisa de satisfação

Posted by on março 10, 2017 in Empreendedorismo, Net Promoter Score - NPS, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Satisfação de Clientes, Pesquisas com Telefone/ Web, Pesquisas de Opinião | 0 comments

Pesquisa de satisfação: 4 Tipos de perguntas essenciais

 

A Pesquisa de Satisfação direciona os caminhos e estratégias de uma empresa. É o tipo de pesquisa que permite saber o que seus clientes realmente pensam sobre a marca, produtos ou serviços prestados.

Em tempos de crise, a pesquisa de satisfação é uma ferramenta de excelente custo-benefício para dar destaque à empresa a partir da opinião dos consumidores finais do produto ou serviço oferecido. Mas para isso, é muito importante saber quais as principais perguntas a se colocar na pesquisa de satisfação para ter o retorno esperado e agir estrategicamente buscando melhorias do negócio.

 

Questionário de Pesquisa de Satisfação

Quais as perguntas que não podem faltar na sua pesquisa de satisfação? O Instituto PHD trabalha de forma personalizada para cada tipo de necessidade. Não é possível ter um modelo de questionário de pesquisa de satisfação que possa ser aplicado à  todo e qualquer nicho.  Contudo, separamos 4 tipos de perguntas bastante versáteis, que você deve considerar em sua pesquisa de satisfação:

 

#1 Nota:

Pesquisas de Satisfação - NotaDetermine quais elementos você precisa que sejam avaliados e pergunte ao seu cliente qual nota ele daria para cada item. Monte uma escala indicando o valor mínimo e o máximo. Um exemplo é perguntando qual o seu grau de satisfação com a qualidade do produto, dentro de uma escala de 1 a 5, onde 1 significa muito insatisfeito e 5 muito satisfeito.

 

#2 Justificativas:

Pesquisas de Satisfação - JustiticativasÉ muito importante saber o motivo pelo qual o entrevistado deu aquela nota. Nesta fase, você consegue fazer melhorias no processo de funcionamento da empresa, desde a fabricação do produto até em estratégias de divulgação.

 

#3 Indicação:

Pesquisas de Satisfação - IndicaçãoAs pessoas só indicam se estão de fato satisfeitas com o produto, marca ou serviço. Pode-se usar uma escala para este caso também, em que o entrevistado afirma “com certeza” um nível de indicação ou “jamais indicaria” para um nível mínimo. Há metodologias bastante consolidadas como  o Net Promoter Score (NPS) que podem te ajudar neste caso.

 

#4 O que você faria:

Pesquisas de Satisfação - O que você fariaEsse tipo de questionamento é muito parecido com as justificativas, porém, são como sugestões de melhorias. Nem todas as pessoas conhecem todos os processos, mas só de fazer recomendações diferentes, já auxilia nos progresso da empresa.

 

 

A Pesquisa de Satisfação, além de gerar informações e indicadores essenciais de gestão, abre um canal de diálogo entre os usuários, agregando valor à sua marca e direcionando a empresa à redução de falhas nos processos. Conheça mais sobre pesquisas de satisfação de clientes e funcionários na divisão especializada do Instituto PHD.

Criando valor para o seu produto

Posted by on março 8, 2017 in Dicas PHD, Empreendedorismo, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Satisfação de Clientes, Pesquisas de Mercado, Pesquisas de Opinião | 0 comments

Criando valor para o seu produto

 

Houve um tempo em que os fatores que determinavam o preço de um produto eram o custo de produção, a relação oferta x demanda, a concorrência direta e o poder aquisitivo do consumidor a que se destinava o produto.

O mundo mudou, os negócios também. Hoje se percebe, além da concorrência direta, os concorrentes indiretos, que oferecem produtos diferentes, mas que atendem aos mesmos anseios, desejos e necessidades do consumidor. A competição por preço reduz a margem de lucro na mesma medida em que os consumidores se tornam cada vez mais exigentes e esclarecidos, sobretudo a partir do advento da era da informação.

Os valores dos consumidores mudaram e o caminho obrigatório para as empresas se destacarem é entender esse novo indivíduo. O conceito de valor é um dos mais fascinantes do Marketing, sintoma da mudança do foco do produto para o cliente. Bens e serviços são desenvolvidos e aperfeiçoados a partir de pesquisas de opinião e as variáveis como vendas e participação no mercado juntaram conceitos como pós venda e satisfação, medida pelas pesquisas de satisfação de clientes, para avaliar o sucesso do produto.

 

Valor e imagem de marca

O conceito de valor permeia todas essas novas variáveis, a partir do momento em que coloca o cliente no centro das decisões de marketing. Criar valor para o cliente é um processo que compreende, antes de mais nada, entendê-lo, saber o que ele busca ao consumir determinadas categorias de produtos.

Um dos caminhos necessários para se construir valor é entender por quê algumas marcas são tão queridas e desejadas, porque as pessoas pagam mais por elas. Isso acontece porque elas souberam construir uma imagem de marca, através de um padrão de desenvolvimento da oferta condizente com os valores almejados por seus clientes, que são materiais e imateriais. O valor é o que o cliente almeja. O valor percebido é a diferença entre o valor almejado e o custo da aquisição, mas se engana quem acha que esse custo consiste apenas em preço. O preço, dentro dessa nova perspectiva, é apenas o custo monetário estabelecido pela satisfação, com base na capacidade da empresa entregar o que promete e no posicionamento da mesma perante a concorrência.

A imagem de marca é o que as pessoas pensam dela, logo precisa ser construída com bons produtos, bons serviços, atendimento, conveniência, ambiente e experiência, mas, sobretudo, na capacidade de entender as pessoas, comunicar e entregar o valor almejado. Todos esses cuidados são capazes de, conjugados, construir marcas valiosas. Dê às pessoas o que elas querem, reduzindo ao máximo os custos, que elas não se incomodarão de pagar mais caro.

Importância da Fiscalização Depois das Eleições

Posted by on março 2, 2017 in Campanha Eleitoral, Dicas PHD, Eleições, Pesquisas de Opinião, Pesquisas Eleitorais, Pesquisas para Prefeito | 0 comments

 

Importância da Fiscalização Depois das Eleições

Em 2016, tivemos eleições para prefeito e vereador. Você foi às urnas e exerceu o seu direito de escolha pelos seus representantes. O trabalho de informação e escolha dos candidatos que poderão melhorar a cidade foi feito, mas será que acaba por aí?

Há 4 anos pela frente e o papel do eleitor não acaba no voto.

Sempre haverá algo a aperfeiçoar em cada cidade, porém, apenas reclamar e não ir atrás de seus direitos, de nada vai adiantar. A população precisa ser reeducada em relação à política e começar a acompanhar os movimentos dos eleitos. Fiscalizar, cobrar e participar junto com os candidatos elegidos faz parte do trabalho de melhorias.

 Conheça a pesquisa de avaliação de governo

Do que a sua cidade precisa?

Segurança, educação, limpeza pública, saneamento básico, saúde e principalmente organização para que haja mudanças. O vereador é o intermediador entre prefeito e o povo. É ele o responsável por ouvir elogios e contestações e repasse as informações para que o prefeito faça um planejamento e realize algo em benefício da sociedade. Por isso, é importante a fiscalização depois das eleições. No vídeo abaixo entenderemos melhor como fazer esse processo e a quem recorrer em alguns casos.

E então, você está fazendo o seu papel de fiscalizador, ou vai esperar 4 anos para reclamar do governante que elegeu?