Público Feminino

Uma boa parcela dos consumidores é composta por mulheres. Com a expansão da mulher no mercado de trabalho e aumento da renda, a mulher passou a ter destaque nas estratégias de marketing, que utilizam a pesquisa aplicada para compreender e atingir às demandas específicas deste segmento.

Não é de hoje que os especialistas em marketing e vendas sugerem o foco no público feminino para atingir melhores resultados. Isso porque a mulher brasileira passa por um intenso processo de empodeiramento e expansão financeira sem precedentes. São chefes de família e desempenham cada vez mais papéis de liderança dentro das empresas de todos os tipos – parece que o mercado aprecia a cultura e o comportamento relativo às mulheres nas tomadas de decisões e no direcionamento de projetos e equipes.

Também possui mais anos de formação e qualificação profissional em relação aos homens, o que interfere em seus critérios de compra. É o público que mais tempo passa nas redes sociais e internet em geral – ainda mais se considerarmos o público feminino entre os jovens. É também o maior número entre os eleitores ativos de todas as faixas etárias.

Estes dados são apenas uma amostra do quanto o público feminino é importante para o mercado – um segmento que não pode ser negligenciado por nenhuma empresa brasileira. Nos últimos 10 anos, as corporações buscam através da pesquisa aplicada compreender de forma estratégica como se comportam as mulheres diante das ofertas – o que as fazem se decidir pela compra, o que mexe com o seu imaginário, qual o seu processo de escolha (preço, tempo de uso, qualidade, etc.).

 

As mulheres consumidoras em nichos historicamente masculinos

Este interesse tem foco em poder de consumo específico da mulher – é preciso entender o seu comportamento para oferecer produtos que atendam às suas expectativas e necessidades, com propagandas e campanhas que sejam assimiladas especificamente por este público. E se antes alguns produtos tinham a ação estratégica voltada exclusiva para os homens – como as propagandas de bebidas e carros, por exemplo – a abordagem sexista caiu por terra, já que as mulheres crescem entre os consumidores de todos os segmentos, sem limitações.

Pensando nisso, é possível reparar nos comerciais de cervejas do Brasil (que ainda apela para o público prioritariamente masculino) e nos comerciais de marcas de cervejas internacionais com veiculação nacional (em que o consumo da bebida é genérico, muitas vezes compartilhado entre indivíduos do sexo oposto).

Outro exemplo são as ações estratégicas da Volvo. Assim como muitas montadoras, a Volvo já se adaptou e passou a fabricar e comunicar atributos mais apelativos às mulheres – como o design, conforto, melhor qualidade de detalhes e acabamento e acessórios internos (como os porta-trecos e o espelho no quebra-sol do motorista, câmera traseira para baliza, etc.). As campanhas falam explicitamente para o público feminino. Mesmo assim, a marca, tratada como fabricante de “carro para mulheres”, passou a usar no seu logotipo o símbolo do gênero masculino, causando grande polêmica entre os especialistas em marketing.

Obviamente, o público feminino, que viu na marca e em seus produtos um conjunto de tudo aquilo que buscavam em um carro – ações criadas a partir de um amplo estudo sobre as mulheres consumidoras – não viram o logotipo com bons olhos e as vendas caíram no último ano.

Isso indica que não adianta apenas usar os dados levantados nas pesquisas apenas para envolver o público e alavancar as vendas – as informações levantadas nas pesquisas aplicadas – Pesquisa de Mercado, Pesquisa de Satisfação, Pesquisa de Opinião, etc. – devem ser uma forma da empresa se atualizar e rever os próprios conceitos, apresentando estratégias integradas com os valores da empresa, para que esta não caia no descrédito com o seu público.

 

Um segmento que só irá se expandir

O público feminino é um segmento bem específico e já deu evidências que pretende se expandir continuamente. Para isso, as empresas precisam conhecer a fundo o seu comportamento e os seus anseios, e ter em foco as premissas que determinam o seu direcionamento no mercado. Qualidade, confiança, solidez, flexibilidade, criatividade, sem limitações de gênero, são apenas alguns conceitos que devem estar presentes nas ações de marketing das corporações. Vale lembrar que a mulher possui uma posição estratégica enquanto formadora de opinião: o seu aval está relacionado a diversos outros públicos, como o mercado infantil (elas escolhem o que é ou não bom para os filhos), mercado voltado para o público masculino (é compradora de artigos para homens e influencia na decisão de seus parceiros, por exemplo), e até mesmo impactam a opinião de outras mulheres (como uma referência de consumo para as demais mulheres que a cercam, por exemplo). A pesquisa aplicada está à disposição para esclarecer este segmento em suas diversas nuances e fazer a sua aproximação com as estratégias das empresas fornecedoras.

O que achou da matéria? O público feminino realmente tem características específicas que devem ser conhecidas pelos profissionais de marketing? Dê-nos o seu comentário! Ou entre em contato conosco para podermos avaliar seu projeto!