Muitas pessoas têm curiosidade de saber como são elaboradas as pesquisas de opinião e até que ponto os entrevistados têm liberdade de falar a opinião em relação ao assunto em pauta. Para delimitar o que será apurado na pesquisa, existem três abordagens de entrevistas: as estruturadas, as semiestruturadas e as não estruturadas. Dependendo do tipo de pesquisa (quantitativa ou qualitativa) um destes tipos de entrevista é o mais indicado. As pesquisas não têm uma fórmula mágica, sendo que vale o famoso ditado: “cada caso é um caso”. O blog do Instituto PHD vai mostrar como, em geral,  funciona cada uma delas.

Entrevistas estruturadas: As entrevistas estruturadas são as mais indicadas para pesquisas quantitativas, como por exemplo, pesquisas de intenção de votos nas eleições ou pesquisas Top Of Mind. Nestas entrevistas são utilizadas, em sua maioria, perguntas fechadas. Ou seja, são utilizadas perguntas nas quais são as respostas são alternativas já especificadas pelo escopo da questão.

A grande vantagem das entrevistas estruturadas é a facilidade de organizar dados apurados nas entrevistas. Quando você tem perguntas (e respostas) fechadas, fica muito mais rápido captar qual é a opinião da maioria dos entrevistados. Por outro lado, é preciso tomar cuidado com o uso destas pesquisas. Como as questões são pré-formuladas, é preciso ter um conhecimento do assunto, e estar certo do objetivo do estudo, posto que o entrevistado não terá tanta liberdade para discutir o tema.

Entrevistas semiestruturadas: As entrevistas no formato semiestruturado é um meio termo entre as estruturadas e não estruturadas. Normalmente é feito com um questionário semiaberto, ou seja, um roteiro para a entrevista. O número de questões pode variar, dependendo da análise que se pretende realizar. Os entrevistados têm grande liberdade para responder as questões.

A grande vantagem deste tipo de pesquisa é a versatilidade. Ao mesmo tempo em que o pesquisador pode obter resultados mais aprofundados sobre as opiniões dos entrevistados, ele também pode direcionar as perguntas de modo que a pesquisa não vire uma divagação. As entrevistas semiestruturadas podem ser usadas para verificar a opinião das pessoas a respeito de certo produto. Pode servir de base para pesquisas mais direcionadas, no formato estruturado.

Entrevistas não estruturadas (qualitativas): Este tipo de entrevista para pesquisas é o que dá mais liberdade para os pesquisados. Normalmente é feito com pessoas que entendem muito de um assunto. A missão delas é falar tudo o que sabem a respeito do tema. O tempo geralmente é ilimitado e outras perguntas podem aparecer dependendo do que vai se desenrolando na conversa. É muito recomendável gravar este tipo de entrevista, uma vez que o conteúdo pode ser muito longo.

As entrevistas não estruturadas têm como maior defeito a amplitude de conteúdo. É muito difícil de apurar. É utilizada principalmente para assuntos no qual o cliente ainda não tem nenhum entendimento. Também serve como base para outros levantamentos. Um exemplo: uma pesquisa qualitativa com um grupo de moradores de uma região sobre como são os hábitos de consumo deles pode ser de grande importância para alimentar um estudo quantitativo mais focal e assertivo.

Se você tiver mais dúvidas sobre como são feitas as nossas pesquisas, e qual o melhor tipo para o seu caso, entre em contato com o Instituto PHD.