A importância da coleta de dados

Uma das fases mais importantes em uma pesquisa é a da coleta de dados. Não importa se o tipo de pesquisa é qualitativa ou quantitativa. Qualquer tipo de levantamento com o público deve ter o máximo de cuidado na hora de coletar informações. Não adianta a metodologia de apuração de dados ser perfeita ou haver um bom planejamento se na hora da coleta de dados houver algum tipo de distorção ou alguma influência do entrevistador perante o entrevistado. A parte da coleta de dados em uma pesquisa deve ser feita com rigor científico. As pessoas que são contratadas pelo Instituto de Pesquisas para fazer as entrevistas devem passar por um treinamento. Na parte do treinamento, é explicado como deve ser feita a abordagem dos entrevistados, como devem ser escolhidos (no caso de pesquisas de opinião pública) e também como deve ser o comportamento na hora da coleta destes dados.

O próprio treinamento serve para se evitar erros por parte de quem está apresentando a pesquisa para o público. Os maiores erros de coletas de dados mal feitas estão relacionados à escolha do público alvo das enquetes, de distorções na hora das perguntas e de coletas de dados insuficientes para a pesquisa. O blog do Instituto PHD vai explicar sobre como acontece e qual a melhor forma de solucionar cada um destes problemas.

Público-alvo errado: Este é um problema que se dá principalmente em pesquisas por amostragem (que são a grande maioria das enquetes). Alguns critérios essenciais sempre definem qual é a população que deve participar de um levantamento. O problema acontece quando a coleta de dados não segue este público pré-determinado. A única solução para este problema é fazer novas entrevistas até que a amostragem esteja completa. Ou seja, trabalho dobrado para quem faz a coleta de dados.

Distorções na hora das perguntas: Esta questão é mais delicada. Ninguém é neutro neste mundo. Isto também se aplica as pessoas que fazem enquetes. Só que demonstrar um lado ou influenciar o entrevistado é algo que deve ser evitado. Isto pode acontecer na entonação que as perguntas são lidas, na ordem das questões ou também em expressões que o entrevistador faz perante algumas colocações. A melhor forma de se evitar isto é preparando bons profissionais para fazer a enquete. E sempre observá-los.

Coletas de dados insuficientes: Algumas pesquisas são um pouco extensas. Isto pode causar alguns problemas como formulários incompletos. Uma pesquisa respondida pela metade não é válida, porque na maioria das vezes as questões são inter-relacionadas (até para ver se há contradições no entrevistado). Neste caso, o melhor a ser feito é eliminar a pesquisa inteira. Infelizmente será trabalho dobrado, mas isto é muito melhor do que ter dados imprecisos.

Nem todos os institutos de pesquisa têm este rigor científico que é necessário para a coleta de dados em uma pesquisa de opinião. Não se trata apenas de entrevistar pessoas. Como eu disse no começo do texto, não adianta ter todo o processo feito perfeitamente se na hora de pegar os dados das fontes haver erros. Se quiser saber mais como são feitas as nossas coletas de dados, entre em contato com o Instituto PHD

Você também vai gostar desses artigos:

Esta entrada foi publicada em Dicas PHD, Franquias, Pesquisas de Mercado, Pesquisas Eleitorais, Pesquisas Qualitativas, Pesquisas Quantitativas. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

3 respostas a A importância da coleta de dados

  1. Celia disse:

    Boa tarde

    Por favor preciso de ajuda, para Mercado de Pesquisas,quero abrir uma Micro na Area de Pesquisas ou ser Entrevistadora para as Empresas do Ramo.
    Quais são os passos a seguir…
    Grata, Atenciosamente
    Celia

  2. Claudia Farias disse:

    No meio acadêmico da área de Humanas, as pessoas torcem o nariz quando falamos em coleta de dados e privilegiam o termo “geração” de dados. Meu entendimento é que pode ser coleta se os dados estiverem já “disponíveis” ou pode ser geração se o pesquisador elaborar instrumentos de pesquisa como questionários, entrevistas, diários de observação, etc; e, a partir deles, obtiver os seus dados. Como pesquisadora da área, me refiro à “coleta” de dados na minha pesquisa porque ela é de cunho documental, mas gostaria de teóricos e publicações que pudessem embasar e legitimar minha escolha. Quem eu poderia citar sobre o assunto? Obrigada

Clique em uma aba para escolher de que forma prefere comentar no Instituto PHD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>